Logo mundo invest

Proteja-se da inflação com fundos imobiliários

Voltar

por Anderson Felipe S. Moreira

Consultor financeiro e criador de conteúdo

FIIs
Investimentos

Proteja-se da inflação com fundos imobiliários

Inflação. Eu tenho certeza que você já ouviu falar desse termo. Ou melhor, você tem sentido os efeitos dela com o passar do tempo. A inflação é a correção de preços que observamos ao longo do ano e ao longo da nossa vida.  Ela pode existir basicamente por dois motivos: oferta x demanda de bens e serviços e pela injeção de dinheiro na Economia por parte do governo.

Vamos tomar como base R$ 100 no ano de 1995 e corrigir esse valor pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), a nossa inflação média, até janeiro de 2022. Esses R$ 100 de 1995, hoje equivalem a R$ 605,36, uma correção de mais de 500% em 27 anos. Ou seja, para comprar o que você comprava com R$ 100 em 1995, agora serão necessários mais de R$ 600 para a mesma coisa. Agora uma reflexão, o que você fazia com R$ 100 em 1995? O que você consegue fazer hoje com os mesmos R$ 100? Isso vai te dar mais uma noção do poder da inflação.

Além do IPCA, nós temos outros indexadores de inflação, como o IGPM (Índice Geral de Preços de Mercado), o indexador mais comum para revisão dos preços de aluguel ano após ano. Temos também o INCC (Índice Nacional da Construção Civil), um indexador que está presente em contratos de compra de imóveis na planta.

Agora, pensa no seguinte: à medida que vamos ficando mais velhos, o nosso custo de vida vai ficando mais caro. Plano de saúde custa mais, alimentação, cuidados médicos. Tudo vai ficando mais custoso. Imagina então ter um custo de vida naturalmente mais alto, só que com menos poder de compra. Não parece ser algo muito agradável, não é mesmo? Por isso, quando investimos para o longo prazo, seja para independência financeira, seja para uma aposentadoria mais digna, nós devemos ter o cuidado de superar a inflação com os nossos ativos.

Nesse texto eu vou te mostrar como você pode superar a inflação com fundos imobiliários. Os Fundos Imobiliários ou FIIs são ativos de Renda Variável e que permitem uma exposição ao setor imobiliário. Por meio dos FIIs, nós podemos ser “donos” de diversos imóveis pelo Brasil, pagando algo por volta de R$ 100, 150 e ainda receber dividendos todos os meses. Neste artigo eu vou comentar sobre os FIIs de tijolo e os FIIs de papel do tipo high yield. Bom, vamos começar então!

Fundos de Tijolo

Os FIIs de tijolo são ativos que investem em imóveis prontos, alugam os espaços e os aluguéis pagos pelos inquilinos são distribuídos como dividendos para os cotistas. Acontece que os contratos de locação sofrem reajustes com a inflação a cada ano, seja por meio do IPCA ou do IGPM. Ou seja, nos fundos de tijolo nós, investidores, percebemos uma correção anual dos rendimentos pela inflação.

Proteja-se da inflação com fundos imobiliários

Figura 1 – Reajuste dos alugueis dos inquilinos do FII ALZR11

Fundos de papel

Os fundos imobiliários de papel são ativos que, majoritariamente, investem em títulos de dívida do setor imobiliário. Nós podemos dividir os fundos de papel em duas categorias: high grade e high yield. Os FIIs do tipo high grade, como o VGIR11, MXRF11, RBRR11 são ativos que montam uma carteira de crédito menos arriscada, por sua vez, distribuem dividendos menores. A categoria high yield é aquela que paga mais dividendos, porém possui mais risco por conta da carteira de crédito que é montada no fundo. A carteira que um fundo high yield monta tende a possuir muitos ativos com rentabilidade atrelada ao IPCA e ao IGPM e os dividendos acabam tendo um repasse mensal da inflação para nós, investidores.

Ou seja, aqui nós temos uma opção de risco maior, mas que pode trazer uma proteção mensal contra a inflação.

Alocação HCTR11

Figura 2 - Carteira por indexador do FII de papel HCTR11

Todas essas opções de investimentos você conseguirá ter acesso por meio do banco BTG Pactual. Escolha ativos que estejam alinhados com o seu perfil de investidor e com os seus objetivos.

Bom, espero que este conteúdo tenha te esclarecido como você pode se proteger contra a inflação com seus investimentos. Conta comigo nessa caminhada e vamos juntos.

Forte abraço!

Fale com o Anderson

Consultor financeiro e criador de conteúdo

Graduado em Química pela UFRJ e atualmente na pós-graduação em Finanças e Banking pela EA Banking. Anderson tem 27 anos, investe há 4 anos e há 2 anos se dedica a criar conteúdo no Instagram sobre Educação Financeira e Investimentos. Anderson é criador da página A Hora do Investimento.

CNPJ 31.630.299/0001-91