Logo mundo invest

Voltar

por Debora Costacurta

Especialista em Investimentos | Assessora de Investimentos

Investimentos
Curiosidades
Ações

Entenda como faz e para que serve a análise fundamentalista

No Brasil há muitas pessoas que investem, porém a maioria ainda está na poupança ou ainda não deu o passo da renda fixa para a renda variável. O que afasta as pessoas de investirem na bolsa, em ações, parece ser simplesmente o fato de não entenderem e não saberem escolher a empresa onde irá aportar o seu dinheiro. 

O que de fato é importante! 

É claro que não é uma tarefa fácil escolher uma ação dentre tantas à disposição, mas com o tempo e experiência a escolha vai ficando mais fácil, por entender a lógica do mercado e das companhias listadas na B3. 

 

Mas afinal, como selecionar uma ação? 

Há dois principais métodos: Análise Técnica e Análise Fundamentalista. 

Neste texto iremos focar na análise fundamentalista. A análise técnica acaba sendo mais usada por traders de mercado financeiro, para entender o momento e o movimento do papel no curto prazo. Vale dizer que não é preciso escolher uma ou outra, elas podem ser complementares.

O que é Análise Fundamentalista?

A análise fundamentalista nada mais é do que a leitura dos fundamentos da empresa, que são demonstrados por “indicadores”. Eles refletem a sua saúde financeira frente aos resultados reportados, a estrutura de capital interna, a situação econômica e a mercadológica. 

Esse método ajuda a entender a situação de momento da empresa e, também, comparar com seus pares. Por exemplo, um dado que pode ser analisado erroneamente é o nível de endividamento de uma empresa. A dívida não é ruim, só é preciso ter um equilíbrio. Esse indicador você pode comparar com os concorrentes do mercado e entender o motivo do grau de alavancagem da empresa.

Há diversos indicadores que podem ser usados na análise. Passaremos por um dos mais comuns. Você pode encontra-los no comparador de ações do Mundo Invest

Analise fundamentalista

P/L

O “preço da ação sobre o lucro por ação” é um dos indicadores mais utilizados para identificar se a ação está, ou não, barata. Esse indicador mostra a relação de quanto a ação está valendo no mercado e quando ela está dando lucro.

O resultado pode ser interpretado como uma maior propensão dos investidores para pagar pelo lucro que a empresa gera. Ou mesmo, pode ser interpretado em quantos anos conseguiria reaver o valor investido, pensando na distribuição de lucro, com a premissa que se mantenha constante. 

Quanto menor o P/L, mais rápido é retornado o capital investido e é possível identificar uma oportunidade, porque os investidores ainda não estão de olho no papel. Busque empresas com PL entre 5 e 50. Empresas com P/L fora dessa faixa devem ser olhadas com mais atenção!

ROE & ROIC

O ROE e o ROIC são indicadores que medem o retorno que o investidor tem, só que mostram sobre dois pontos de vista diferentes. O primeiro ponto é o Retorno sobre o Patrimônio, ele mostra quanto a empresa está gerando de retorno para o seu acionista frente ao patrimônio líquido da empresa. 

O ROE mostra a eficiência que a empresa tem em cada “Real” que é colocado em seu Patrimônio Líquido. Ou seja, um ROE de 30% significa que a empresa lucra R$30 para cada R$100 de patrimônio líquido! Quanto maior o ROE mais retorno a empresa está proporcionando

O ROIC é o retorno sobre o capital investido, demonstra quanto a empresa consegue de rentabilidade frente ao capital total aplicado. Esse indicador é calculado com EBIT(Lucro antes de juros e imposto de renda)/(Ativos - Fornecedores - Caixa).

Dividend Yield

O indicador Dividend Yield (DY) é o quanto de dividendos a empresa paga aos acionistas, isto é, o lucro da empresa. Ele é demonstrado como percentual, considerando quanto foi distribuído por ação e o preço dela. Esse indicador é utilizado principalmente pelos investidores que estão em busca de renda extra. 

Um bom nível de DY é entre 5 a 10% a.a. Mas quanto maior, mais dividendos a empresa repassa para seus investidores. Por outro lado, menos é reinvestido na empresa.

Dívida Bruta/Patrimônio Líquido

Esse indicador é importante para a análise, mas é preciso tomar cuidado. É possível analisar a saúde financeira da empresa ao dividirmos a sua dívida bruta (Curto e Longo Prazo) pelo patrimônio líquido. 

Isso é viável a partir do momento em que seja possível identificar quando o valor é menor ou igual a um, e o patrimônio líquido da empresa é suficiente para cobrir todas as dívidas. Caso contrário, pode se dizer que a empresa está alavancada. 

Mas por que é preciso tomar cuidado com esse indicador? 

Não é uma coisa ruim a empresa estar alavancada, importante é estar atento ao volume de dívidas da empresa, e para onde e qual é o propósito desse capital. Deste modo, é possível analisar se essas dívidas fazem sentido para a empresa ou só vão causar prejuízo. 

Busque empresas entre 0,3 e 1. Caso encontre valores diferentes, é preciso analisar se faz sentido esse número para o setor da empresa analisada!

Liquidez Corrente

A liquidez corrente é o indicador que divide o Ativo Circulante pelo Passivo Circulante, que são bens e deveres de até um ano. Esse indicador possibilita analisar a capacidade de pagamento da empresa no curto prazo. 

É bom para entender que, se ocorrer algum imprevisto, a empresa conseguiria liquidar todas as dívidas de curto prazo. Se for menor que um, pode dizer que a empresa está alavancada. 

Margem Líquida 

Esse indicador é calculado pela divisão do lucro líquido pela receita líquida. A margem líquida é um indicador financeiro e se traduz como o percentual do lucro em relação às receitas auferidas no período. 

É possível entender se a empresa está viável e gerando receita. Isso é importante, pois, de uma maneira simples e direta, mostra se ela consegue se manter. Quanto maior esse número, pode-se entender que a empresa tem mais vantagem competitiva frente às concorrentes.

CONCLUINDO…

Esses são alguns dos indicadores que os analistas fundamentalistas constroem e utilizam para entender como está a saúde da empresa. É importante saber como chegar a esses indicadores, pois há sempre algo por trás desses resultados que ajudam a entender mais as corporações e os empreendimentos. 

Um único indicador não é suficiente, é preciso usar um conjunto deles para poder entender o que está acontecendo internamente. 

Caso você não saiba como pegar os dados, há um site que pode dar um auxílio aos investidores iniciantes, só clicar aqui

Através do comparador de ações do Mundo Invest você pode comparar todas as ações da B3, com base nos indicadores que mostrei!

Se ficou alguma dúvida ou queira conversar sobre o tema discutido, pode mandar uma mensagem que entrarei em contato para ajudar. 

Até o próximo post

Fale com a Debora

Especialista em Investimentos | Assessora de Investimentos

Desde nova, a Débora já se interessava por investimentos. Sempre pesquisou sobre o assunto e ao longo dos anos foi se aprofundando cada vez mais! Iniciou sua jornada de investimentos, pegando gosto pelo assunto e se apaixonando pela área. Quando adquiriu conhecimento suficiente, se tornou assessora de investimentos na EWZ Capital, pois acredita que o mercado financeiro no Brasil tem ainda muito espaço para crescimento e consolidação!

CNPJ 31.630.299/0001-91