Logo mundo invest

Como ganhar renda passiva com Criptomoedas

Voltar

por Sabrina Coincidência

Especialista em Criptoativos

Avançado
Criptoativos
Curiosidades

Sem dúvida, ao estudar o mercado de criptomoedas você consegue entender o quão grande ele é.  Além disso, percebe como ele tem um forte potencial de crescimento em sua jornada de investimento. Como a inovação chama inovação, o mercado não se resume aos investimentos apenas em bitcoin, mesmo ele sendo a principal criptomoeda. Atualmente, você consegue ganhar rendimentos maiores que se estivesse apenas investindo no BTC. Vamos citar as formas de maiores rendimentos no mercado blockchain, mas saiba que todo investimento inclui risco. Nada de entrar só por entrar. Estamos te passando o guia inicial para que você possa melhorar sua jornada nesse mercado e para que conheça a modalidade que está em seu perfil de investidor. Veja agora as principais formas ganhos no meio blockchain:

Staking

Staking é a manutenção de suas criptomoedas na carteira. Esse sistema foi criado para que a rede da criptomoeda fique segura e que o preço desse ativo não chegue a zero, pois sempre existirão criptomoedas guardadas. Como você não pode negociar a moeda em uma corretora ou utilizá-la no dia a dia, o sistema desse ativo te recompensa por isso. Você ganha juros proporcionais aos criptoativos que estão guardados em sua carteira.

Para fazer o staking, na maior parte das criptomoedas, você pode deixá-la em sua carteira. Mas, atualmente, já existem corretoras, como a Binance, que disponibilizam o serviço de staking para que você possa ganhar rendimentos sem se preocupar em guardar ativos digitais em sua carteira, a própria plataforma faz isso por você.

O staking faz parte do modelo de consenso Proof do Stake. Esse modelo permite que as transações de criptomoedas sejam realizadas através de validadores que possuem criptoativos em suas carteiras. De maneira aleatória, o protocolo do ativo digital atribui aos detentores da criptomoeda o direito de validar a próxima transação, a quantidade de moedas em stake influencia diretamente na escolha de validação de blocos.

O montante mínimo de moedas que devem ficar em staking vai depender da criptomoeda escolhida. O cálculo do rendimento também é feito através da escolha do criptoativo. As formas mais comuns de calcular são:

  1. Quantas moedas você possui em staking;
  2. Quanto tempo elas estão em staking;
  3. Total de moedas na rede.

Como ter uma quantidade grande de moedas influencia na recompensa de quem as possui, muitas pessoas costumam entrar em um staking pool, local onde os detentores de criptoativos se reúnem para aumentarem as chances de serem escolhidos como validadores e ganharem mais recompensas. Como uma staking pool não exige restrições e o saldo mínimo de entrada é pequeno, ela pode ser a melhor forma para quem está iniciando nesse mercado.

Vantagem do staking:

contribui para o andamento da rede da criptomoeda e diminui o número de ativos em circulação, trazendo uma menor exposição ao preço.

Desvantagem do staking:

centralização de moedas na mão de investidores mais ricos.

Criptomoedas que você pode fazer o staking: Polygon (MATIC), Terra (LUNA) e Polkadot (DOT).

 

Masternode

Aqui já vamos começar com um exemplo para você. Imagine que um rapaz chamado Henrique possui muito dinheiro e não quer estudar como fazer trading ou arbitragem no mercado de criptomoedas. A primeira dica que ele receberia seria: guarde suas moedas em sua carteira digital, espera ela valorizar e depois venda. Mas esse método, conhecido como hodl, pode não ser tão interessante, pois somente guardar as moedas não trará tanta diferença na valorização do ativo. E se Henrique tivesse uma forma de fazer a quantidade de suas moedas crescer? Quando elas valorizassem, ele teria um rendimento muito maior.

Mas nós já não vimos isso no staking?  Já não sabemos que guardar moedas na carteira por lá eu consigo ter rendimentos passivos? Vimos sim, mas o mercado tende a ver outro método como algo mais interessante. Esse método é conhecido como Masternode. O que o torna tão atraente frente ao staking? O Masternode é uma forma de proteção maior para a criptomoeda que está em diversos ativos. Sendo assim, Henrique poderá escolher por um ativo Proof of Stake ou Proof of Work, aumentando assim a sua gama de possibilidades, algo que não é possível no staking.

O que é Masternode?

Podemos classificar o masternode como o primo evoluído do staking. Essa modalidade de ganhar renda passiva no mercado de criptoativos também consiste em deixar suas moedas guardadas na carteira. O termo técnico para descrever um masternode é “full node”. Um full node mantém a cópia completa do blockchain da criptomoeda em tempo real.  Para executar um masternode sem problemas, sem interrupções, é necessário um VPS (Virtual Private Server).

Um masternode consegue dar ao criptoativo funcionalidades e serviços específicos que as demais criptomoedas, que não têm masternode, não possuem. Veja alguns diferenciais que o masternode consegue oferecer:

  1. Transações instantâneas;
  2. Transações anônimas;
  3. Sistema de governança;
  4. Sistema de votação;
  5. Tesouraria da criptomoeda.

A filosofia do masternode é fazer com que qualquer pessoa possa participar dessa modalidade, ajudar a rede da criptomoeda e ganhar recompensas para isso. Contudo, precisamos apontar que, para que esse sistema não seja malicioso, algumas criptomoedas exigem um colateral alto de quantos ativos você deve deixar em sua carteira. O número de moedas guardadas vai variar de acordo com a criptomoeda escolhida, mas vamos utilizar o exemplo da Dash, principal criptoativo que oferece um sistema de masternode.

Para ser um masternode da Dash, você precisa ter pelo menos 1000 unidades da moeda guardadas. Atualmente, o ROI, retorno sobre investimento, da criptomoeda está a 6.43%. O que devemos levar em consideração é o preço da altcoin que gira em torno de US$200 no momento da escrita do artigo. Isso nos mostra que, para ser um masternode da Dash, você precisa de pelo menos US$200.000. Sem dúvidas, uma grande barreira de entrada foi criada aqui.

Quando a Dash chegou ao mercado de criptomoedas, em 2014, seu preço era de cerca de US$1. Na época, era mais fácil fazer a aquisição do masternode, mas isso não quer dizer que não houve evolução. Mesmo que o próprio mercado de criptomoedas coloque alguma barreira de entrada, ele alguma hora irá se encarregar de tirá-la. Serviços como a CrowdNode disponibilizam que qualquer pessoa do mundo se torne um masternode da Dash com apenas uma moeda. Esse é o famoso masternode compartilhado de uma criptomoeda, onde diversas pessoas se juntam para ajudar a rede e serem recompensados por isso. Você ganha recompensas de acordo com a quantidade que depositar nesse masternode.

Damos o exemplo da Dash, pois ela foi a primeira a apresentar esse conceito ao mercado blockchain, mas existem diversas criptomoedas que trabalham com masternode. O site Masternodes Online apresenta todos os ativos dessa área, com especificações de cada um e seu ROI atual. Veja três dicas antes de escolher uma criptomoeda para fazer um masternode:

  1. Estudar a criptomoeada
  2. Observar a facilitação de masternode
  3. Observar se o ROI atual vale o investimento  

Vantagem do Masternode:

Mantém a rede da criptomoeda segura, as moedas guardadas em masternode não podem ser vendidas, quanto mais tempo você permanece em masternode, mais recompensas você ganha.

Desvantagem do Masternode:

Centralização da moeda nas mãos dos primeiros investidores ou de investidores mais ricos.

Criptomoedas que você pode fazer masternode: Dash (DASH), PIVX (PIVX) e PAC Protocol (PAC).

Lending

Nessa modalidade temos os empréstimos no mercado de criptomoedas. Se você já faz o processo de investimentos em um CDB, por exemplo, sabe que está emprestando seu dinheiro ao banco. Para fazer esse empréstimo, você precisa analisar o risco do banco para saber se ele irá ou não te pagar. No mercado de criptomoedas, por outro lado, não há esse risco, pois todos os empréstimos são realizados com um colateral. Ou seja, para alguém conseguir pegar um empréstimo com você, esse alguém precisa ter uma garantia em criptomoedas.

Mas porque alguém depositaria criptomoedas para pegar empréstimo se está precisando de dinheiro?

É que o mercado de criptomoedas funciona de uma forma diferente. As pessoas são apegadas aos seus criptoativos. Mas imprevistos acontecem e liquidez é algo que todos precisam ter. Vamos usar um exemplo aqui para você entender esse sistema.

Camila tem criptomoedas em sua carteira pessoal e precisa muito de liquidez porque sua mãe irá fazer uma cirurgia de emergência. Só que Camila acredita muito no mercado de criptoativos e tem em mente que ele irá subir nos próximos anos e não quer vender suas criptomoedas agora. O que ela faz? Escolhe um protocolo de empréstimo, como Compound, Aave e até mesmo a corretora Binance que disponibiliza essa modalidade, deposita suas criptomoedas e pega o valor que precisa para a cirurgia da sua mãe. Quando Camila devolve o valor com os juros que o protocolo de empréstimo exige, ele pega suas criptomoedas de volta e as mantém em sua carteira. Viu? Camila conseguiu pegar o valor necessário e ainda manteve seus criptoativos consigo.

Tudo bem. Entendi como a pessoa que pega o dinheiro emprestado se beneficia. Mas como posso ganhar dinheiro aqui?

Fácil também. Para que Camila conseguisse pegar o empréstimo, foi necessário que tivesse alguma liquidez para isso. Afinal, ela não iria tirar o dinheiro do nada.

Para ganhar no lending, você empresta suas criptomoedas para o protocolo de empréstimos e recebe uma taxa de juros por isso. Mais uma vez, a taxa de juros vai depender da plataforma escolhida para depósito. Atualmente, elas variam de 4% a 10%. No site Tokentax você consegue ver todas as taxas e propostas de tributação de cada plataforma de empréstimo.

Mas e os juros? Como eles são garantidos?

Bem, as plataformas exigem que quem deseja pegar um empréstimo deposite um colateral maior que o que ele irá solicitar. Muito mais que garantir os juros, esse colateral maior faz com que o protocolo fique seguro em quedas do mercado.

Todo esse processo é possível graças ao sistema de finanças descentralizadas, DeFi. Ele possibilita que todos os serviços financeiros do mercado tradicional sejam realizados através de contratos inteligentes, sem a interferência de terceiros e dispensa um centralizador de tomadas de decisão, como os bancos.

Vantagem do Lending:

Transparente, por estar em um blockchain é mais seguro que o sistema tradicional, apresenta poder de escolha sobre a plataforma e rendimentos em criptomoedas.

Desvantagem do Lending:

Falta de regulação para plataformas de empréstimos centralizadas, como a BlockFi.

Protocolos que possibilitam o empréstimo: Compound, Aave e Maker.

Qual modalidade escolher?

Agora você observou que todos os modelos possuem suas vantagens e desvantagens. Há um caminho amplo de rendimentos no mercado de criptomoedas e você pode escolher a jornada que melhor se encaixa em seu perfil. Enquanto o staking e o masternode se enquadram em propostas de rendimentos para médio e longo prazo, o lending se diferencia por trazer rendimentos mais rápidos. Não podemos deixar de destacar que o lending apresenta um risco maior, pois a queda do mercado de criptoativos pode fazer com que a pessoa que pegou o empréstimo seja liquidada. Embora o rendimento no staking e masternode sejam menores que os dos empréstimos, eles costumam ser mais seguros por essa razão.

Podemos colocar que investidores com perfis mais conservadores que desejam diversificar nesse mercado preferem entrar no staking ou no masternode, mesmo com rendimentos mais baixos. Já os investidores mais arrojados, preferem arriscar e terem um retorno maior e optam pelo setor DeFi e empréstimos. Não esqueça que para qualquer modalidade de sua escolha você precisa estudar, é o conhecimento que te faz se destacar e conseguir mais ganhos em seus investimentos.

 

Grande abraço do mercado das criptomoedas.

 

Sabrina Coincidências

Fale com a Sabrina

Especialista em Criptoativos

Sabrina começou sua jornada no mercado de criptomoedas em 2016, quando ouviu falar sobre bitcoin pela primeira vez. Contudo, sua caminhada de empreendedorismo com blockchain começou em 2018, ano em que decidiu se dedicar à produção de conteúdo sobre o mercado.

CNPJ 31.630.299/0001-91