Logo mundo invest

Blue Chips x Small Caps: qual é melhor?

Voltar

por Lucas Baraldi

Advogado e Assessor de Investimentos

Ações
Investimentos

Blue Chips x Small Caps: qual é melhor?

Investidores que ainda estão começando no mercado financeiro provavelmente já se depararam com esses dois termos em inglês – Blue Chips e Small Caps –, e se perguntaram o que cada um deles significa.

Antes de mais nada é preciso ter calma, compreendê-las é bem mais fácil do que parece! O objetivo desse texto é esclarecer os principais aspectos de cada uma dessas classificações para que o investidor possa decidir com segurança em qual deve investir.

Incialmente, é preciso destacar que ambos os termos representam grupos de ações negociadas nas Bolsas de Valores, cada uma com características próprias e objetivos diferentes quanto à rentabilidade, volume de negociações, volatilidade, entre outros fatores, tendo em vista que o perfil das empresas que integram cada classe é muito distinto.

Vamos a elas?

BLUE CHIPS

Os amantes do famoso jogo de baralho Poker farão rapidamente a analogia: no jogo, as Blue Chips (“fichas azuis”) representam as fichas de mais alto valor de aposta, sendo naturalmente as mais procuradas pelos apostadores.

blue chips x Small caps: qual é a melhor?

No mercado financeiro, as Blue Chips representam, por sua vez, as empresas ditas de primeira linha, que possuem maior destaque em seus respectivos segmentos de mercado e, por consequência, gozam de maior credibilidade frente ao público investidor.

Como possuem um maior volume de negociações, as Blue Chips representam os papéis com maior participação no índice Bovespa (IBOV ou BOVA11, sendo este último um ETF que acompanha a rentabilidade do índice). Essa alta liquidez proporciona, em tese, uma maior segurança aos acionistas, na medida em que as ações acabam ficando menos sujeitas a manipulações de mercado e há uma relativa constância no preço ao longo do tempo, além de certa resiliência contra grandes desvalorizações em momentos de crise, já que estamos falando de empresas de grande porte e muito bem consolidadas no mercado.

Aponta-se como exemplos de Blue Chips em âmbito nacional as empresas: Petrobras, Vale do Rio Doce, Ambev, Itaú, Gerdau, Bradesco etc. Já no mercado internacional, temos Apple, Google, Amazon, Netflix, Coca-Cola, JP Morgan, Mercado Livre e diversas outras.

Principais vantagens das Blue Chips:

Além dos aspectos já mencionados, as Blue Chips costumam atrair a atenção dos investidores porque:

·         possuem forte geração de lucros e, como resultado, costumam pagar bons dividendos aos acionistas

·         a governança corporativa tende a ser melhor que a de empresas menores e com menos credibilidade

·         alto valor de mercado

·         constante crescimento, menores oscilações

·         grande liquidez, possibilitando compra e venda dos ativos com mais agilidade e fluidez

Por todo esse contexto é que se pode dizer que as ações Blue Chips funcionam como um verdadeiro termômetro do mercado onde estão inseridas, pois conduzem com maior peso os índices das Bolsas de Valores – se elas vão mal, o mercado tende a piorar; se vão bem, farão com que o mercado como um todo também siga bem.

SMALL CAPS

Em outra ponta temos as ações classificadas como Small Caps, isto é, empresas listadas na Bolsa que possuem uma menor capitalização (ou valor) de mercado, sendo consideradas de pequeno porte – daí o uso do nome em inglês small. Apesar de não possuírem toda a grife e os altos níveis de confiabilidade das gigantes da Bolsa, as Small Caps também têm lá seus benefícios.

Small caps

É importante dizer que não há um consenso sobre o valor de mercado que uma companhia deve ter para que seja considerada de pequeno porte. No entanto, casas de
research e analistas de diferentes corretoras costumam classificar ações como Small Caps quando o valor de mercado da empresa estiver, em média, por volta de 1 a 5 bilhões de reais.

Existe inclusive um Índice Small Cap (SMLL), criado pela B3 justamente para monitorar e servir como indicador de desempenho médio das cotações dos papéis das empresas de menor capitalização.

Destacamos aqui os requisitos, segundo a metodologia da B3, necessários para que os ativos sejam elegíveis a integrar o índice SMLL :

Regra das small caps

Principais vantagens das Small Caps:

 Vamos então ao que realmente importa: saber o porquê de se investir nas “nanicas” da Bolsa.

Em primeiro lugar, o principal aspecto das Small Caps é o potencial de alta valorização no preço de seus papéis. Quem é investidor na Bolsa naturalmente procura opções onde possa ter lucro, e é exatamente nas Small Caps onde residem as maiores oportunidades.

Como estamos diante de empresas “jovens” e com pouco tempo de mercado, ou, por vezes, que estão explorando novos setores da economia ainda pouco desenvolvidos (ex.: tecnologias inovadoras), as Small Caps apresentam um horizonte interessante de crescimento, e essa esperança de um futuro promissor é o que pode fazer com que o preço das ações evolua exponencialmente no longo prazo.

A bem da verdade, toda Blue Chip já foi um dia uma Small Cap. Apostar numa empresa ainda em fase embrionária e vê-la, com o passar dos anos, se tornar uma das grandes no cenário da Bolsa é, sem dúvida, a maior fonte de rentabilidade que se pode obter dentro do mercado financeiro.

Citamos aqui o exemplo da Magazine Luiza: num intervalo de 5 anos – entre 2016 e 2021 – a ação chegou a ter um pico de valorização de quase 90.000%, o que certamente fez a alegria de muitos investidores, que acabaram se tornando verdadeiros milionários com investimentos de baixo valor.

Outra grande vantagem dessas empresas é que o preço de um lote padrão (100 ações) tende a ser mais barato, o que facilita o acesso a esses papéis pelos investidores com menos capital. A volatilidade pode ser mais alta em razão de baixa liquidez nesses papéis, porém, nos momentos de alta da Bolsa de Valores, as Small Caps costumam superar a rentabilidade das Blue Chips, tornando-as mais atrativas quando o mercado está em viés de alta.

COMPARANDO OS RISCOS

Até agora falamos apenas das vantagens de se investir em Blue Chips e Small Caps. Resumimos então as desvantagens que cada classe possui como opção de investimento:

Desvantagens Blue chips e Small caps

AFINAL, QUAL DAS DUAS É A MELHOR?

Apontar o que é melhor dentro do mercado financeiro é uma tarefa um tanto quanto difícil, até mesmo para quem tem experiência nesse mundo. Cada investidor tem um perfil próprio e diferentes objetivos quando se trata de investimentos, e o que é bom para um pode não ser tão bom para outro.

Então, o que se aconselha ao investidor é analisar riscos envolvidos em qualquer tipo de investimento e conferir se a opção é adequada às suas expectativas. E essa é uma tarefa muito mais fácil quando temos a ajuda de um assessor de investimentos!

Fale com o Lucas

Advogado e Assessor de Investimentos

Advogado formado pela PUC/SP, Lucas tem experiência atuando nas áreas cível, criminal e previdenciária.

CNPJ 31.630.299/0001-91