Fundo de Renda Fixa

O que são Fundos de Investimento de Renda Fixa?

Os Fundos de Investimento de Renda Fixa são caracterizados por serem mais seguros e com previsibilidade nos rendimentos futuros. Por conta dessa característica, são os mais famosos entre os investidores em períodos de instabilidade, como aconteceu em 2015.

Quando se investe nesse tipo de Fundo, você está comprando uma participação numa carteira de investimentos, que inclui várias aplicações em renda fixa ao mesmo tempo.

Diferente de outros fundos, estes têm um percentual pré-determinado de investimentos em aplicações de renda fixa. E é justamente isso que torna seus rendimentos mais previsíveis, constantes e seguros.

Para o Fundo poder ser considerado como de Renda Fixa, ele deve investir no mínimo 80% do seu patrimônio líquido em ativos de Renda Fixa expostos a variação da taxa de juros ou a um índice de preços, ou ambos.

A sua carteira é composta por títulos que rendem uma taxa previamente acordada. Estes Fundos se beneficiam em um cenário de queda de juros, mas tem risco da taxa de juros e eventualmente de crédito.

Estes Fundos podem ser classificados como “Longo Prazo” caso o prazo médio da carteira supere 365 dias. E é vedada a cobrança de taxa de performance, salvo quando for um Fundo para investidores qualificados.

Quais são os tipos de Fundos de Renda Fixa?

A CVM (Comissão de Valores Monetários) classificou os Fundos de Renda fixa da seguinte forma:

 

  • Fundos de Investimento de Renda Fixa de Curto Prazo:
    São os Fundos que têm por objetivo proporcionar a menor volatilidade possível dentre os Fundos disponíveis no mercado brasileiro. São carteiras que devem ter seus recursos alocados em títulos públicos federais ou privados, pré-fixados ou indexados a taxa SELIC ou a outra taxa de juros. Devem ter um prazo máximo de 375 dias e o prazo médio da carteira inferior a 60 dias.
    Nesse tipo de Fundo pode-se usar derivativos, se tiver o objetivo de proteção da carteira.

 

  • Fundo de Investimento de Renda Fixa Referenciado:
    Para esse tipo de Fundo de Renda Fixa, deve ter em sua politica de investimento pelo menos 95% do seu patrimônio líquido investido em ativos que acompanham um determinado índice de referência.

 

  • Fundo de Investimento de Renda Fixa Simples:
    O Fundo de Renda Fixa classificado como “Simples”, desde que tenha 95% do seu patrimônio líquido alocado em títulos da dívida pública federal, ou em instituições financeiras que possuam classificação de risco atribuída pelo gestor com riscos equivalentes.

 

  • Fundo de Investimento de Renda Fixa de Dívida Externa:
    Para o Fundo de Investimento ter o sufixo “Dívida Externa”, tem que ter no mínimo 80% dos ativos alocados em títulos da dívida externa de responsabilidade da União. Essa é a forma mais fácil de para em papéis brasileiros negociados no mercado internacional.
    *Essa classificação de Fundo de Investimento de Renda Fixa pode cobrar taxa de performance.

 

Como escolher os Fundos de Renda Fixa?

Para escolher o melhor fundo de renda fixa é necessário não apenas avaliar cada tipo e suas diferentes regras, mas também contemplar suas próprias necessidades como investidor.

Se almeja resultados mais rentáveis, os fundos de crédito podem ser uma boa opção. Mas, caso seja uma pessoa mais conservadora e não queira ousar muito, os fundos referenciados são melhores.

No entanto, para fazer essas escolhas, é necessário que você tenha conhecimento a respeito.

Se você é um daqueles que não está muito familiarizado com o mercado, neste ponto, as assessorias de investimento têm importante papel. Com base no seu perfil e suas necessidades, ela fará o levantamento de quais os melhores fundos para você investir, para assim, você obter os melhores resultados para seus negócios.

Compartilhe isso: